30 de agosto de 2015

Resenha: Star Wars - Manual do Império

Título: Manual do Império: Guia do Comandante
Título Original: Star Wars: Imperial Handbook
Editora: Bertrand Brasil (Editorial Record)
Autor: Daniel Wallace
ISBN: 878-85-286-1705-4
Ano: 2015
Páginas: 160
Avaliação: ★★★★★
Sinopse: O mais novo livro da série Jedi / Sith / Caçador de Recompensas chegou! O Império tomou conta da galáxia, e oficiais de alto escalão de cada setor das forças armadas registraram em O Manual do Império: Guia do comandante diretrizes táticas e procedimentos, além de relatos de missões e documentos confidenciais para todos os comandantes recém-promovidos. Este guia abrangente revela detalhes sigilosos das táticas imperiais de batalha, medidas aceitáveis para punir traidores e o plano de longo prazo do Império para a dominação militar da galáxia. Depois da Batalha de Endor, este manual ultrassecreto caiu nas mãos da Aliança Rebelde. Com anotações bem-humoradas escritas à mão nas margens das páginas, conhecidas figuras da Rebelião desafiam em seus comentários a propaganda oficial do Império.




 Depois de descobrir o Caminho Jedi, dos Sith e dos Caçadores de Recompensas é hora de se aventurar como membro no império galático do universo Star Wars.

 Assim como os outros três livros da coleção já lançados, este manual é um completo e eficaz guia de como fazer parte da frota imperial, liderada pelo imperador Palpatine. Apesar de bastante "formal" (em seus termos técnicos), o livro não deixa de lançar suas ironias e cutucadas à antiga republica e a Aliança Rebelde, atual equipe de combate direto ao império (a oposição, digamos).

 O manual é dividido em cinco distintas partes: Forças Armadas Imperiais, que conta mais sobre a parte burocrática do império, como administração, politicas e história; A Marinha Imperial, que descreve todo regime da marinha, os seus funcionários e frota (destróiers e modelos Tie, por exemplo); O Exército Imperial, que aborda mais a parte "mão na massa", as estrategias e veículos usados, A Tropa de Stormtroopers, que descreve como tornar-se um, desde seus treinamentos à diferenciação dos Stormtroopers por atividades; E por fim, A Doutrina Imperial, que trás consigo os objetivos do império, como a supremacia e a aniquilação/captura dos rebeldes.

 E claro, não podia faltar a obra os já esperados comentários 'rabiscados" por alguns dos personagens do universo Star Wars que tiveram em mãos este manual, como por exemplo Leia Organa, Mon Mothma, e os corellianos Wedge e o sempre nada humilde Han Solo.

 O Manual do Império é um excelente item na prateleira de qualquer colecionador/admirador de Star Wars e uma ótima pedida de leitura. Apesar de bem focado no seu contexto (um livro didático, digamos, pois ele tem como suposto objetivo fazer com que o leitor compreenda de fato o que é o Império Galáctico e todas as "maravilhas" dele), o livro é descontraído e rápido.

 Eu, como admirador desse mundo no qual o livo se baseia, devorei a manual rápido (até demais) assim como aconteceu em O Código do Caçador de Recompensa (resenha aqui). Fisicamente falando, a Bertrand Brasil arrasou na construção do livro, que tornou-se um dos mais belos na minha prateleira.

 Não só para fãs, mas Manual do Império está mais que indicado à leitura!
   
   

Parceria: Grupo Editorial Record (Selo Bertrand Brasil)

24 de agosto de 2015

Resenha | A Odisseia de Tibor Lobato: O Oitavo Vilarejo

Título Original: A Odisseia de Tibor Lobato: O Oitavo Vilarejo
Série: A Odisseia de Tibor Lobato, volume 1
Autor: Gustavo Rosseb
Editora: Jangada
Ano: 2015
Páginas: 224
ISBN: 978-85-55390-01-2
Avaliação: ★★★★★
Sinopse: Depois de perder os pais num terrível incêndio no acampamento cigano onde moravam e passar dois anos num orfanato, Tibor Lobato e sua irmã Sátir são encontrados pela avó e vão morar no seu sítio. Ali fazem amizade com Rurique, um garoto conhecedor das lendas e histórias de assombração do lugar. Durante a quaresma, coisas muito estranhas começam a acontecer na região e seres fantásticos do folclore - como a Mula Sem Cabeça, o Boitatá e a Cuca -, ganham vida e começam a assombrar os habitantes dos Sete Vilarejos. Os três começam a correr perigo quando descobrem segredos que ligam a família dos irmãos a esses seres fantásticos e a um lendário Oitavo Vilarejo. A partir daí inicia-se uma odisseia cheia de magia, que levará os três amigos a reconhecerem e valorizarem virtudes como lealdade, coragem, esperança e amizade.


 Tibor Lobato e sua irmã Sátir são crianças que, depois de uma fatídica morte de seus pais, viveram por dois terríveis anos num orfanato, até que sua vó Gailde os encontrasse. A partir daí, eles foram morar com ela no sítio da família e foi, naquele pacato lugar que eles nem imaginavam viver as suas maiores aventuras. Eles conheceram lá Rurique, um garoto com características semelhantes aos dos novos moradores do sitio e que, por isso, tornam-se grandes amigos. É através de Rurique que conhecemos sobre a temida Quaresma, período que se inicia após o termino do carnaval e que trás consigo as maiores lendas do folclore Brasileiro para aquelas bandas. 

 Logo eles descobririam todo mistério do Oitavo Vilarejo, as malignidades que uma antiga e desaparecida bruxa realizou (cuidado com a Cuca ♫), um "bonde" de porcos e estranhos desaparecimentos, como o do Sr. Pereira.


 A Odisseia de Tibor Lobato é sensacional! Além da história desenvolvida por Gustavo Rosseb ser divertida, envolvente e criativa, a obra é uma grande homenagem a cultura brasileira. O folclore e suas figuras tipicas (como o Curupira, Saci Pererê, Boitatá e a própria Cuca) estão muito bem representados nas páginas do livro, de forma atual e inovadora.

 O trio principal, apesar de parecidos, conseguem apresentar suas singularidades: Tibor é um líder nato, curioso e destemido, ainda que com algumas ressalvas, sobrando para Sátir o lado mais racional. Rurique é prestativo e de fato o mais engraçado dos três, além de ser o mais cheio de histórias relacionadas as assombrações da Quaresma

 Além da história principal, um pequeno conto ao final do livro foi inserido e também vale a pena ser conferido. Mais uma sequencia de histórias que envolvem a cultura brasileira descrita de forma diferenciada e interessante.

 O defeito maior dele: acabar cedo. A história flui tão fácil que quando você percebe já está no final da trama. É o típico livro que você sente-se triste por ter finalizado tão rápido (inevitável) e conta as horas para outra história do tipo. E, pra minha sorte e de todos os leitores, a história não acabará por aqui.

 Excelente leitura, literatura nacional infanto-juvenil muitíssimo recomendada. Fica a dica para quem busca algo bacana para ler! 

   

Parceria: Grupo Editorial Pensamento (Selo Jangada)

23 de agosto de 2015

[Agosto] Lançamentos Grupo Pensamento


► EDITORA SEOMAN
QUER SE VER NO MEU OLHO?,
Rafael Vitti
Rafael Vitti se declara como Arteiro Poetista.

Seus versos, sempre muito musicais, partem de seu peito como borboletas e pousam no branco do papel. Coloridos, graciosos, pungentes mas, sobretudo, delicados. Eternizam o efêmero da paixão juvenil dando vida a todas as suas indagações. Brinca com os significados como quem manobra o skate ou desenha um caminho na onda.

É lúdico, é livre e é, ainda assim, sério. Olhe para onde os olhos dele pousam. Veja com seus olhos. Leia em seu olhar.





► EDITORA JANGADA
TEMPESTADE DE SANGUE (FORTALEZA NEGRA #2), 
Kel Costa
Durante o último ataque de mitológicos à Fortaleza Negra, Sasha, sofreu perdas irreparáveis. Agora, só o que ela quer é juntar os cacos e seguir em frente. Mas, quando menos espera, ela se depara com um esquema de tráfico de sangue dentro da Fortaleza e resolve usar essa informação para se aproximar de Klaus, o líder dos Mestres vampiros. Enquanto isso, Mikhail, viaja na companhia dos irmãos numa caçada aos mitológicos, e está concentrado em encontrar seus inimigos e dar fim ao grupo que atacou a Fortaleza. Mal sabe ele que enquanto isso, Sasha está se arriscando para desvendar todo o mistério que envolve o tráfico de sangue, ao mesmo tempo que tenta se reaproximar do cientista Blake Campbell e descobrir mais sobre a Exterminator, a arma criada para exterminar os mitológicos, mas que também pode ser uma grande ameaça para os vampiros. Será que Blake está tramando contra os Mestres? 

O LABIRINTO DO FIM DO MUNDO
Marcelo Simoni
Em 1229, o rastro de homicídios deixado por um violento cavaleiro acaba forçando o inquisidor Konrad von Marburg a investigar a misteriosa seita dos Luciferianos. Um mestre em medicina expulso da Universidade de Notre-Dame acaba atraindo as suspeitas do inquisidor, mas ele não será o único a cair nas mãos do religioso, ávido por entregar um culpado à justiça divina da Santa Inquisição Romana. O mercador de relíquias Ignazio de Toledo, chega a Nápoles e desperta a desconfiança de von Marburg. Descobrir uma forma de provar sua inocência não lhe será fácil. Ignazio inicia então uma longa e arriscada investigação que o levará a “Corte dos Milagres” de Frederico II, na qual se reúnem algumas das mentes mais brilhantes e esclarecidas da época. Estará o mistério da temível seita escondido entre os muros do palácio imperial? 


21 de agosto de 2015

Resenha: Finalmente Famosa

Subtítulo: Até Onde Você Iria em Busca de Celebridade?
Autor: Mayra Dias Gomes
Editora: Record
Ano: 2015
Páginas: 208
ISBN: 978-85-01-10483-0
Avaliação: ★★★★
Sinopse:  Filha do dramaturgo Dias Gomes, a carioca Mayra Dias Gomes teve sua carreira deslanchada após escrever aos 17 anos seu primeiro livro, Fugalaça, uma polêmica e pungente mistura de ficção com autobiografia. Agora a escritora lança seu terceiro livro, o suspense Finalmente famosa, inspirado em um assassinato real ocorrido em Hollywood. Fascinada pelo gênero, Mayra pesquisou sobre lugares “mal-assombrados” de Los Angeles para contar a história de Sophia Young, atriz de cinema que cai no ostracismo ao se envolver em um escândalo com o ex-marido. Após sair da prisão, ela vai morar em um prédio na Calçada da Fama que abrigou Charlie Chaplin, Fatty Arbuckle e Rudolph Valentino e outros astros do cinema mudo, mas que guarda a fama de ser habitado por fantasmas. É ali que ocorre o crime que colocará Sophia em uma viagem pelos lugares mais assustadores da capital do cinema. Finalmente famosa é um eletrizante suspense sobre o lado obscuro de Hollywood, onde vale tudo para se tornar uma celebridade.

 Finalmente Famosa, livro da Mayra Dias Gomes, narra a trajetória de Sophia Young, uma mulher que viveu toda "maravilha" que o estrelato podia proporcionar em Hollywood e hoje não passa de uma ex-celebridade em decadência. Tudo começou a ruir depois do inicio-e-término do casamento dela com o ator hiper sucedido Anthony Faustini. Um casamento regado de traições e mentiras por parte dele, e acarretou numa ação totalmente impensada de Sophia, colocando-a atras das grades.

 Ela tenta levar a sua vida normalmente (dentro do possível) até que sua vida, já não tão boa, sofre outra reviravolta: um assassinato em seu prédio faz todos os fantasmas do passado ganharem vida novamente.


 A obra é viva. A autora desenvolveu uma narrativa que assemelha-se a uma autobiografia da personagem, já que em poucas conseguiu transmitir toda a sua jornada de uma mera sonhadora a uma sub-celebridade que caiu no esquecimento.

 Ela poderia ser mais uma na multidão, com o mesmo sonho que muitas garotas, mas conseguiu ganhar destaque. Mas aquela história de sempre querer mais foi o que de fato a derrubou. A ambição falou mais alto que a razão.

 Em alguns momentos achei um tanto exagerado o teor dramático do enredo, levantando a questão "oh mulher sofrida, hein?!" Nada que desmereça o desenvolvimento. A história vai se desenrolando sem pressa, numa narrativa que envolve mas que ao mesmo tempo aparenta ser uma "viagem" em pensamentos de Sophia. 

 O final surpreendeu e muito. Sério! Não foi um desfecho perfeito, reconheço, mas conseguiu transpor para as páginas do livro toda a essência do que ele foi. 

 Não é uma obra muito extensa e por isso não há muito o que ser dito. Foi uma leitura diferente que conseguiu ser simples e ao mesmo tempo perturbadora. Se não é excepcional é uma obra que merece ser lida e apreciada.



Parceria: Grupo Editorial Record

17 de agosto de 2015

Para Colorir: Feito Tatuagem

Autor: Danee Suave
Editora: BestSeller
Ano: 2015
Páginas: 104
ISBN: 978-85-7684-931-5
Sinopse: O livro de colorir de uma das tatuadoras mais famosas do país. A arte milenar das tatuagens vai muito além da estética. Seja para representar um momento marcante da vida, eternizar memórias ou homenagear uma pessoa querida, elas fazem parte da vida de muita gente. Em Feito tatuagem essa arte está representada nas cinquenta páginas recheadas de belas ilustrações com temas variados criados pela renomada tatuadora Danee Suave. Suas ilustrações permitem que o leitor abuse da criatividade enchendo-as de cores e tornando-se o autor da própria tatuagem. Este é um livro imperdível para os fãs desse universo rico, histórico e colorido.


 Eis que surge aqui no blog o primeiro review de livros para colorir, a nova sensação do ramo literário. Esses livros surgiram como uma válvula de escape para muitas pessoas fugirem da rotina estressante do dia-a-dia e, desde então, tem se tornado o xodó da galera. Muitas "versões" desses livros surgiram e, a mais nova (até então) é Feito Tatuagem da Editora BestSeller.

 A obra reuni várias ilustrações criadas por uma das tatuadoras mais famosas do Brasil, a Danee Suave, que explorou bastante esse universo com figuras de várias vertentes e tipos. De caveiras à flora e fauna, a autora retratou de forma peculiar seus desenhos, fazendo com que o artista em questão (sim, você mesmo que irá pintar o livro) desenvolva bastante sua criatividade para dar vida ao livro.

 Algumas figuras são um tanto loucas (normal), mas nada que seja impossível de entender ou colorir. O prefácio é assinado por ninguém mais, ninguém menos que PC Siqueira que obviamente entende muito do universo de tatuagens.

Gostaram? Confira a galeria de imagens do livro:

12 de agosto de 2015

Resenha: Starling

Título Original: Starling
Série: Starling #1
Autor: Lesley Livingston
Editora: Jangada
Ano: 2015
Páginas: 288
ISBN: 978-85-64850-85-9
Avaliação: ★★★
Sinopse: Mason Starling é campeã de esgrima da equipe da Academia Gosforth, mas nunca teve de lutar por sua vida. Não até a noite em que uma violenta tempestade sobrenatural assola Manhattan, aprisionando Mason e seus colegas de equipe dentro da escola. Mason é atacada por criaturas horrendas, com forma vagamente humana, mais aterrorizantes que os trovões e raios, enquanto a tormenta traz para a vida dela um perigoso desconhecido: um jovem que não se recorda de nada além de seu nome - Fennrys, o Lobo. A chegada desse garoto misterioso faz em pedaços o mundo de Mason, ao mesmo tempo que uma atração inegável surge entre eles. Juntos, eles tentam desvendar os segredos da identidade de Fenn, enquanto forças estranhas e sobrenaturais se adensam à volta deles. Quando descobrem que a família de Mason, com sua obscura ligação com antigos deuses nórdicos, é a chave de todo o mistério, Fennrys e Mason subitamente se veem diante de um futuro catastrófico: o Ragnarök - ou o fim do mundo, como o conhecemos.

 Mason Starling é uma das melhores esgrimistas da Academia Gosforth e prepara-se pra uma grande competição nacional. Era mais um dia comum, até uma violenta tempestade cair sobre Manhattan de forma totalmente inesperada e, juntamente a ela, seres sombrios surgirem para atacá-los. A obscuridade é traumática, e Mason e os outros membros do local precisam achar um meio de sobreviver aquilo, ainda que seja impossível. 

 Eis que surge outra coisa louca: Fennrys, o Lobo. Ele não sabe quem é e nem o que o levou chegar ali (nu), mas ele torna-se o salvador de Mason e seus amigos de academia. Como ele conseguiu derrotar aqueles seres "zumbizados" é outro mistério a ser descoberto. No dia seguinte a tragédia, tudo estava como antes: nenhum sinal dos seres ou do que restou deles. Nada de sangue, apenas as marcas na pele de cada um dos sobreviventes. Sabemos apenas que: o mundo que conhecemos abriu as portas para o extraordinário. O Ragnarök está próximo. 

 Já perceberam quanto mistério tem pra ser revelado, ok? Pensam que acaba ai? Não! Logo descobrimos que uma profecia que envolve toda família Starling marca a vida da garota bem antes do seu nascimento e, a cada momento, ela está batendo na porta com todo seu peso catastrófico. 

 Apesar de envolvente nos momentos eletrizantes, o livro deixou a desejar em outros. A forma como a estória discorre é um tanto maçante, ainda que seja visível que a autora domina o tema (Mitologia Nórdica em si) e soube impor seu enredo com base nisso. 

 Eu não consegui nem gostar do livro e muito menos detestar. Achei que o enredo se enquadra ao meio termo, há sim excelentes momentos na estória (de ficar grudado nas páginas) porém faltou pique. Tive uma sensação semelhante ao ler Fallen (ainda vou descobrir por que faço essa ligação entre as duas obras) e a maioria dos leitores amaram o livro. 

 O final deixa aquela sensação de que o próximo livro da série será muito mais encorpado que o primeiro. A obra possui outros dois livros já lançados em idioma original (Descendant e Transcedent completam a série) e já já aparecerá nas prateleiras das livrarias por meio da Editora Jangada.


Parceria: Grupo Editorial Pensamento (Selo Jangada)

10 de agosto de 2015

Resenha: Fragmentados

Título Original: Unwind
Série: Fragmentados (The Unwind #1)
Autor: Neal Shusterman
Editora: Novo Conceito
Ano: 2015
Páginas: 368
ISBN: 978-85-8163-519-4
Avaliação: ★★★★
Sinopse: Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria.

Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos desde as mãos até o coração é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.

O vencedor do Boston Globe-Horn Book Award, Neal Shusterman, desafia as ideias dos leitores sobre a vida: não apenas sobre onde ela começa e termina, mas sobre o que realmente significa estar vivo.


 Em um universo distópico, a Guerra de Heartland fez com que uma lei fosse imposta em acordo comum entre os governos para acabar com os conflitos. A Lei da Vida permite e impõe que a partir dali, cada adolescente com idade entre 13 e 18 anos fosse "abortados" pelos seus pais, concedendo assim o direito total ou parcial do corpo dos jovens para "reuso" em outras pessoas. Em outras palavras, a Fragmentação (denominação do processo pelo qual os jovens passam) nada mais é que arrancar um braço sadio de um jovem e colocar em alguém que havia perdido seu mesmo membro em um acidente, por exemplo.

 É nesse contexto que conheceremos o trio que da corpo a obra e que tem seus destinos cruzados pelo acaso: Connor, um garoto que está com a rebeldia aflorada, principalmente depois de descobrir sem querer que iria ser dado para a Fragmentação. Por isso, ele decide que fugir é a unica saída. Risa, por ser orfã, tem seus "direitos autorais" concedidos ao governo, e assim, eles que decidem seu futuro. Por isso, surge seu desejo desenfreado de fugir a todo custo. O ultimo dos três, Lev é o mais peculiar. Ele é um dizimo, o que quer dizer que ele está sendo preparado, com seu consentimento para ser fragmentado.

 O livro é de tirar o fôlego, ainda que em algumas cenas explosivas sejam confusas (o ponto negativo da obra). O autor preparou uma trama imprevisível de forma que o leitor deverá desconfiar de tudo e todos a todo momento. Qualquer atitude é suspeita.

"Tem um monte de coisas que as pessoas não deveriam fazer [...] Mas este não é um mundo perfeito. O problema são as pessoas que pensam que sim."
Página 74
 A obra é dividida em sete partes que englobam perfeitamente o que aquele enunciado da parte é proposto e narrada em terceira pessoa sob a visão dos mais distintos personagens que se apresentam no livro, fazendo com que os fios soltos da obra se liguem, ainda que não sejam muitos. 

 A questão da Fragmentação em si é algo que desperta e aguça a curiosidade. A ideia de transformar pessoas em "Frankensteins" em um mundo teoricamente perfeito é ao mesmo tempo bela (esteticamente falando, já que você poderia ser tornar um objeto perfeito) e sombria (por todos motivos óbvios). Claro, seu teor crítico é visível, já que em busca de uma suposta perfeição, as pessoas estão cada dia mais genéricas. 

 Os personagens não são aqueles inocentes sofredores comuns em livros dos gênero, mas sim adolescentes de personalidade forte (e formada). Lev talvez seja o mais irritante, não pelo que ele é, mas sim por suas atitudes, deixando entender de que ele irá colocar tudo a perder a qualquer momento.

 No contexto geral, Fragmentado é uma obra que deve ser conferida sem pressa e sem criar grandes expectativas, como foi meu caso. Ótima experiencia de leitura.



Parceria: Novo Conceito

8 de agosto de 2015

Caixa do Correio #04 - Julho


 Depois de muito atraso dos correios (problema constante ultimamente), eis que surge a quarta "Caixa do Correio" do Cantina do Livro. Há livros para todos os gostos dessa vez, o que pode variar e muito as leituras no mês de Julho e parte do Agosto. Os que foram resenhados contém o link no fim da descrição de cada um. Não deixem de conferir também.

Os livros de Julho foram:

4 de agosto de 2015

Resenha: Missão Pré-Sal 2025

Título Original: Missão Pré-Sal 2025
Autor: Vivianne Geber
Editora: Record
Ano: 2015
Páginas: 364
ISBN: 978-85-03-00949-2
Avaliação: ★★★
Sinopse: Londres, segunda década do século XXI. Rodolfo Ruppel, oficial da Marinha brasileira, é enviado à capital britânica numa missão secreta, sob o pretexto de participar de evento de uma empresa especializada em defesa naval. Viaja com a esposa, Carla, e pretende aproveitar a oportunidade para tentar reinventar o casamento já desgastado. Pouco lhe é informado acerca da missão, mas sabe que terá de recapturar informações roubadas sobre o ambicioso Projeto Pré-Sal 2025, grande conquista tecnológica da Marinha brasileira: um submarino híbrido, semidiesel, seminuclear – a arma capaz de alçar o país à elite militar mundial –, cujo principal objetivo era a defesa do pré-sal brasileiro. As instruções, criptografadas em Os girassóis, de Vincent Van Gogh, envolvem Ruppel em uma rede de alianças e traições, trama intrincada em que conhece a misteriosa e sedutora engenheira naval Victoria Borges, que o conduzirá a um mundo de prazer e perigo até então desconhecido. Vivianne Geber é militar há 17 anos, prestando assessoria jurídica à Marinha do Brasil. Em Missão pré-sal 2025, a autora utiliza seu conhecimento profissional para trabalhar com grande habilidade questões factuais na envolvente trama de espionagem.

 Rodolfo Ruppel está na corda bamba. Seu casamento com Carla está indo de mal a pior. E é justamente nesse período no qual, o oficial da Marinha Brasileira é enviado a capital britânica para uma missão ultra secreta que envolve o ambicioso Projeto Pré-Sal 2025, com o objetivo de recuperar informações roubadas. O projeto poderá tornar o Brasil uma das seis maiores potencias petroleiras do mundo. Uma rede de alianças e traições está iniciada. Claro, com tanto dinheiro e poder envolvido, confiar totalmente em alguém pode ser um tiro no pé. 

"A Marinha brasileira desenvolveu um projeto denominado Pré-Sal 2025, uma nova geração de submarinos que comporá a sua frota. As especificações desses submarinos diesel-elétricos serão bem diferentes dos atuais submarinos convencionais e em uso ao redor do mundo. [...] No entanto o Pré-Sal 2025 trabalha com novas tecnologias na área de motores elétricos e armazenamento de energia que vão possibilitar maiores velocidades de transito, bem como maiores velocidades táticas e mais energia para os sistemas de gerenciamento de combate."
Página 33

 Essa viagem também pode ser sua chance de um novo começo com sua mulher, ou desandar de vez. Lá ele conhece uma misteriosa e sedutora "sócia" nessa missão, a Victoria, uma engenheira naval.

 Curiosamente a vida pessoal de Ruppel é um ponto que me prendeu bastante ao enredo, já que há diversos conflitos pessoais dele com ele mesmo e com sua esposa, o que deixou interessante uma parte da trama. 

 O livro é bem simples porém com bastante conteúdo a ser explorado. A autora conseguiu impor todo seu conhecimento da área acerca do enredo (afinal ela é assessora jurídica da Marinha). Muitos termos técnicos e visão "interna" dos fatos despontam no livro.

 A proposta é boa, há muito mistério envolvido daqueles que não pode-se confiar em ninguém, porém falta folego em certos momentos, tornando o livro repleto de altos e baixos, o que me incomodou bastante. Não é uma obra ruim, mas me senti perdido em muitos momentos da obra, seja pelas indas e vindas ou pelo enredo em si.

  Como disse, o livro tem sim suas qualidades mas não ME empolgou o tanto quanto eu esperava, pela ideia desenvolvida para a obra quando conheci sua sinopse. De todo caso, fica a indicação para leitura.



Parceria: Grupo Editorial Record

1 de agosto de 2015

Resenha: O Sol é Para Todos

Título Original: To Kill a Mockingbird
Autor: Harper Lee
Editora: José Olympio
Ano: 2015
Páginas: 364
ISBN: 978-85-03-00949-2
Avaliação: ★★★★★
Sinopse: A nova edição de um dos maiores clássicos da literatura norte-americana moderna. Um livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça. O sol é para todos, com seu texto forte, melodramático, sutil, cômico (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações. Com nova tradução e projeto gráfico, este clássico moderno volta à cena, justamente quando a autora lança uma continuação dele, causando euforia no mercado. Desde o anúncio de sua sequência, O sol é para todos é um dos livros mais buscados e acessados no site do Grupo Editorial Record. Já vendeu mais de 30 milhões de cópias nos Estados Unidos e, no último ano, ganhou a recomendação do presidente Barack Obama, que proferiu o seguinte elogio: "Este é o melhor livro contra todas as formas de racismo."

 Década de 1930, Maycomb, Estados Unidos. O Sol é Para Todos retrata os costumes de uma pacata cidade, onde todos conhecem todos e o racismo é fortemente encrustado na população. Mas, como para toda regra há uma exceção, a família de Jean Louise Finch (ou simplesmente Scout) é diferenciada. Ela que é a narradora do livro, vive com seu exemplar pai Atticus, seu irmão Jeremy Finch, (o Jem) e por Calpurnia, uma negra que é a cozinheira da família e educadora das crianças.

 O livro é dividido em duas partes. Na primeira, Scout começa sua narrativa de forma tranquila, descrevendo, ao seu ponto de vista, como era viver em Maycomb. Aqui, conhecemos bastante a região, seus principais personagens e alguns hábitos deles. Apesar de nova, Scout é uma garota observadora, durona e sentimental, que tem como pilar seu irmão Jem. As vidas dos garotos ficam mais divertidas no verão, que é quando seu novo amigo Dill aparece na cidade. Ai que as aventuras deles são mais empolgantes.

"Em primeiro lugar, Scout — ele disse —, se aprender um truque simples, vai se relacionar melhor com todo o tipo de gente. Você só consegue entender uma pessoa de verdade quando vê as coisas do ponto de vista dela.
— É?
— Precisa se colocar no lugar dela e dar umas voltas."
Página 43
 Porém, na segunda parte, o clima naquele local monótono fica visivelmente pesado quando o advogado Atticus defende na justiça um negro acusado de estuprar uma garota branca de uma família fortemente preconceituosa, os Ewell. O caso é considerado praticamente perdido por todos, inclusive Atticus, mas ainda assim ele se prepara para causar uma sensacional comoção. 

 É nessa etapa que se desdobra um dos meus momentos mais marcantes de uma leitura, que é quando Tom Robinson vai a julgamento. É de arrepiar a defesa desenvolvida por Atticus. Scout e Jem (além de Dill) veem em seu pai um herói tentando realizar o quase impossível. 

"— Porque eu não poderia exigir isso. Scout, por causa da natureza da função que exerce, todo advogado assume pelo menos um caso que o afeta pessoalmente. Tenho a impressão de que esse é o meu. Você provavelmente vai ouvir coisas horríveis sobre isso na escola, então me faça um favor: levante a cabeça e abaixe os punhos. Não importa o que digam, não deixe que eles a façam perder o controle. Tente lutar com as ideias, para variar… mesmo que seja difícil.
— Atticus, nós vamos ganhar?
— Não, querida.
— Então, por que…
— Ainda que tenhamos perdido antes mesmo de começar, não significa que não devamos tentar — ponderou Atticus."
Página 101 e 102

 O Sol é Para Todos é de fato um dos livros mais tocantes que pude ler. A simplicidade é transcrita da forma mais singela e cruel, descrevendo toda maldade de uma sociedade racista sem perder a inocência através do olhar de uma criança.

 A narrativa de Scout faz com que o leitor se sinta bem próximo aos envolvidos na estória, tornando quase um relato de vida na qual você também fez parte. Os sentimentos em relação a leitura também são inúmeros: você ri, comemora, se irrita, fica ansioso... Enfim. 

 É impossível não se afeiçoar pela família Finch, do pai aos filhos. Toda sabedoria de Atticus é passada para seus filhos para que vivam aquela turbulência sem que eles percam toda essência do que é ser criança. Ele é um exemplo como pai, líder e homem, servindo de espelho para que seus filhos possam se tornar pessoas dignas e fundamentadas.

 O final também surpreende. Desenvolvi em minha mente inúmeras finalizações cabíveis para a obra, mas até nisso o simples se sobressai. 

"Aquele que mergulha na vaidade sucumbe na escuridão! [...] Um coração feliz faz um semblante alegre!"
Página 199

 Li as mais 364 em dois dias (sendo que quase 250 em um único) e, ainda assim, queria mais. Não é atoa que esse é considerados um dos livros norte-americano de mais importância no século XX.

 Palmas para a autora por ter criado uma obra tão singular e pela editora José Olympio por reeditar essa obra maravilhosa. Cinco estrelas e um coração de favorito pois o sol é para todos. 

Parceria: Grupo Editorial Record (Selo José Olympio)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...